DITOS  EM  CRIOULO

# 76 - 102

 

DITO EM CRIOULO

EM PORTUGUÊS

 76

Ami i rasa papaia pabia n’ ka ta durmi na bariga di alguin.

Sou raça papaia pois não durmo na barriga de ninguém.
Explicação: A papaia não aceita permanecer mais de um dia na barriga de alguém.

 77

Garandi kuma i ka un pe son ku pui kaminhu limpu

Segundo os velhos, só uma pegada não é suficiente para ter um caminho.
Explicação: O desenvolvimento é o trabalho comum, só com o trabalho colectivo é que chegamos ao objectivo.

 78

Pumba ku kustuma bua ka ta bin otca kau di firma.

A pomba que custumava voar pode ficar sem sítio onde pousar.
Explicação: Quem tem hábito de independência, qualquer dia ficará sem lugar para morar.

 79

Si bu ka da tapada, bu ka ta djubi tras.

Só quando atropeláste é que vês atrás.
Explicação: Só depois do obstáculo é que reconhecemos ou recorremos à família ou aos amigos.

 80

Abo i ka iagu nin abo i ka sol.

Não és água nem és sol.
Explicação: Tanto a tua presença como a tua ausência não deixam falta. Não és igual à água nem ao sol que se não os tivermos nos fazem muita falta.

 81

Bu na toka bu na badja.

Tocas e danças ao mesmo tempo.
Explicação: A mesma pessoa não pode tocar e dançar simultaneamente. Ninguém pode acusar e defender ao mesmo tempo.

 82

Abo ku tene tcaga bu ka ta sinti si tceru.

Tens uma ferida e não sentes se cheira mal.
Explicação: O amor encobre os nossos defeitos.

 83

Bon tratu di aos ta kumpu dia di amanha.

Os antepassados disseram que tratar bem o próximo significa edificar o teu futuro.
Explicação: Se queremos ser felizes devemos obedecer e respeitar os nossos velhos.

 84

Anta i tcuba di Kabu-Verdi.

É chuva de Cabo Verde.
Explicação: Numa sociedade não pode haver diferenças em termos de ajudas ou ofertas, estas têm que ser repartidas de igual forma.

 85

Baka ku ka tene rabu Deus ku ta banal.

Deus afasta as moscas das vacas que não têm rabo.
Explicação: A providência de Deus não esquece quem não pode providenciar por si memo.

 86

Bakia baka di kinankoi sin liti sin nata.

Pastorear como o "kinankoi", não pode tirar nem leite nem nata.
Explicação: Sacrificar-se sem proveito e sem reconhecimento da parte dos beneficiários.

 87

Buru, tudu karga ki karga, si ka sutadu i ka ta djanti.

O burro com pouca ou muita carga, se não for açoitado não vai diante.
Explicação: Para alquém se acostumar ao trabalho ou formar o carácter é preciso impôr-lhe disciplina.

 88

Fiansa ta kebra kudjer di prata.

Quando menos se espera, uma colher de prata pode partir-se.
Explicação: Nem sempre devemos contar com o auxílio de um amigo ou com uma outra pessoa que, em princípio, pode e deve ajudar-nos, pois isso pode não acontecer quando menos esperamos.

 89

Galinha kargadu i ka ta sibi si kaminhu lundju.

A galinha transportada não conhece o comprimento do caminho.
Explicação: Quem é sustentado por outro não sabe quanto custa a sua vida.

 90

Bondadi di manhoka.

Bondade de minhoca. Esplikason: Aquando da criação do mundo e dos animais a minhoca, sublinha a tradição crioula guineense, tinha muitas patas e muitos olhos, decidiu viajar e pelo caminho fora, à medida que encontrava animais que não tinham patas, oferecia um par a cada um até que ficou sem patas. Isto é, o excesso de bondade pode ser prejudicial para nós mesmos.

 91

Bonitasku di iagu salgadu i bon, ma i kansadu bibi (Iagu salgadu bonitu, ma i disabidu bibi).

A beleza da água do mar é bonita à vista mas desagradável ao paladar.
Explicação: A mulher pode ser bonita pela cara e pela sua estatura física, mas se não é uma boa dona de casa, não se comporta bem.

 92

Bu ka sibi si bu mama di bunda gros, son ora ki tene mandita.

Não sabes se as tuas nádegas são grandes enquanto não tiverem um furúnculo.
Explicação: Não é fácil saber quanto se é estimado e bem visto num lugar, só o sabemos quando somos transferidos para outro lugar.

 93

Bu purba liti bu pidi baka.

Prováste leite pediste a vaca.
Explicação: No primeiro dia em que fizeste amor, pediste logo o casamento.

 94

Bu sinta na bagabaga, bu na rui tcon.

Estás sentado numa termiteira e a dizer mal do chão.
Explicação: Insultar inconscientemente quem nos sustenta.

 95

Deus sta lundju di nos ma i ka mal mandadu.

Deus encontra-se longe de nós mas nunca nos abandona.
Explicação: Muitas vezes, se alguém nos fizer mal, sentimo-nos lesados e recorremos à justiça. Às vezes a justiça não funciona, mas Deus, por mais tarde que seja, acaba por fazer a justiça.

 96

Deus sibi ke ku manda iagu di mar salga.

Sabe Deus porque que é que a água do mar está salgada.
Ex: Só Deus conhece as razões da sua criação.

 97 Katcur iadadur os o pankada.

O cão vadio encontra ossos ou pousadas.
Ex: O vagabundo tanto pode encontrar comida como também fome e sede.

 98

Kuri ku kosa djudju ka ta fila.

Correr e coçar joelho não estão de acordo.
Ex: Não se pode fazer duas coisas ao mesmo tempo.

 99

Lifanti ka ta pirguisa ku si dinti.

O elefante não descansa com os seus dentes.
Ex: Ninguém sente a mais um membro da sua família.

 100

Kusi bambaran sin fidju.

Preparas o enxoval sem teres criança.
Ex: Tomar algo provável como coisa já certa.

 101

Lubu kuma si sol mansi di repenti, i ka el son ku na burgunhu.

A hiena diz que se amanhecer de repente, não é só ela que se vai envergonhar.
Ex: Há muitas coisas desegradáveis que se fazem durante a noite, por exemplo, roubo, aldrabice, ajusto de contas, etc. Portanto, se amanhecer de repente, muitos se vão envergonhar.

 102

Santcu kunsi po ki ta fural udju.

O macaco bem conhece o pau que lhe pode estragar os olhos.
Explicação: Conhecemos, diz o crioulo, o nosso inimigo ou adversário que nos pode causar mal.

Ditos 1-25
Ditos 25-50
Ditos 51-75

Voltar às "Escolas da FASPEBI"                                                         Voltar á Homepage