DITOS  EM  CRIOULO

# 26 - 50

 

DITO EM CRIOULO

EM PORTUGUÊS

 26

I ka tudu dia, ki dia dumingu.

Nem todos os dias é Domingo.
Explicação: não é todos os dias que se consegue êxito na vida, há também dias de tristeza.

 27

Si dunu di kasa ta tcami, fidjus tudu ta nornori.

Se o dono da casa é bêbedo os filhos ficam raquíticos.
Explicação: Um pai que é bêbedo e não trabalha, os filhos passam fome.

 28

Dinti mora ku lingua, ma i ta dati i murdil.

Os dentes coabitam com a língua mas pode acontecer que a mordam.
Explicação: Em todas as famílias existem problemas, mas estes nunca devem impedir uma convivência fraterna.

 29

Dipus di sabura mortu i ka nada.

Depois do prazer pouco importa a morte.
Explicação: Depois de satisfazer as necessidades, a morte não importa.

 30

Djitu ka ten.

Não há remédio.
Explicação: quando não tenho meios para resolver algum problema, devo conformar-me com aquilo que eu tenho, por isso diz-se não consigo resolver o problema.

 31

Djustu di ba tcur i ka tciga karga don.

Só o facto de ires apresentar pêsames não justifica que estás de luto.
Explicação: Não devemos, aconselha-nos o crioulo, tomar muito a peito problemas que não nos dizem respeito directamente.

 32

Flanu tene boka di sambasuga i ta murdi i supra.

Fulano tem boca di sanguessuga : morde e penetra no ânimo.
Explicação: Tem boca de sanguessuga quem fala mal dos ausentes e os adula quando presentes.

 33

Filanta i mas panga udju.

Um acordo prévio vale mais de piscar o olho.
Explicação: Os interessados amigos e outros que cheguem a um acordo prévio em vez de, no momento da reunião, piscarem o olho uns ao outros.

 34

Kin ki ma bo lenha, ta ma bo sinsa.

Quem tem mais lenha do que tu terá mais cinza do que tu.
Explicação: De nada serve querer competir com alguém que tem mais força e mais possibilidades.

 35

Kin ki misti pis i ta ba modja rabada na iagu.

Quem quer peixe há-de molhar as nádegas na água.
Explicação: Quem quer comer tem que trabalhar.

 36

Ratu si ka fila ku si kumpanher, i ka ta tcoma gatu pa rapati elis.

Nos seus problemas, os ratos nunca recorrem ao gato para os julgar.
Explicação: Dentro do possível, devemos tentar resolver entre nós as nossas desavenças sem recorrermos a terceiras pessoas que nos podem prejudicar.

 37

Sorti na pe ki sta.

A sorte está nos pés.
Explicação: É preciso ir ao encontro da sorte percorrendo se for preciso longas caminhadas.

 38

Si n’ sibiba.

Se eu soubesse andaria sempre atrás.
Explicação: Os arrependimentos quando são tardios não resolvem nenhum problema.

 39

Uatca Katceu.

Dizer a verdade nua e crua.
Explicação: Falar a verdade com toda a franqueza e sem rodeios. É falar como a gente de Cacheu.

 40

Seta ka ta de kabesa.

Aceitar não faz doer a cabeça. Explicação: Ninguém é responsável, diz o crioulo, pelo compromisso que toma sob ameaça.

 41

Si bu misti konta, bu ten ku misti linha.

Se queres as missangas, tens que aceitar a linha que as une.
Explicação: Diz o crioulo, com toda lógica, se queremos a mulher temos que aceitar os filhos.

 42

Manganas si bu ka uliulil i ka ta padi.

Se não chamuscares "uli-uli" o manganas quando é pequeno, não dará frutos mais tarde.
Explicação: Devemos educar bem os filhos, desde os primeiros anos, uni-los nos mesmos interesses, quando necessário.

 43

Santcu nega papia pa ka paga dasa.

O macaco não fala, para não pagar imposto.
Explicação: O macaco, diz o crioulo, poderia falar como o homem, se não o faz é unicamente para não pagar o imposto.

 44

Riu ka ta intci mar, mar ku ta intci riu.

Não é o rio que enche o mar mas o mar que dá água ao rio.
Explicação: Não é o pobre que pode matar a fome do rico mas o rico que pode matar a fome do pobre.

 45

Po tudu tarda ki tarda na iagu i ka ta bida lagartu.

O tronco de árvore, por muito tempo que fique na água não se transforma em crocodilo.
Explicação: Por mais tempo que um europeu more em África nem por isso se torna africano.

 46

Sen palmatoria i ka sabi toma ma i sabi konta.

Cem açoites não são agradáveis de receber mas são agradáveis de contar.
Explicação: É fácil ver as pessoas a brigar, mas é difícil suportar a briga quando é conosco.

 47 Sombra di kuku ka ta tadja si fidju.

A sombra do coqueiro não protege os seus frutos.
Explicação: Para o crioulo o coqueiro é o símbolo dos pais que pouco cuidam dos filhos, preferindo ajudar os outros.

 48

Santcu ka ta djukuta i fika si rabu.

O macaco não dá salto sem levar o rabo consigo.
Explicação: um bom pai de família não deixa os filhos com fome.

 49

Bu ngratu suma boka (o suma bariga).

És ingrato como a boca ou a barriga que reagem quando têm fome.
Explicação: Só se conhecem as pessoas quando precisamos delas.

 50

Si dus pusua na laba kurpu, i ka un son ku ta bulidu kosta.

Se duas pessoas estão a lavar-se não se pode escovar as costas de uma e deixar a outra.
Explicação: Quando há problemas entre dois amigos, é bom sermos justos e humanos com ambas as partes.

Ver Ditos 51-75
Ditos 76-102
Ditos 1-25

Voltar às "Escolas da FASPEBI"                                                         Voltar á Homepage